Café do Norte Pioneiro é o primeiro produto detentor da Indicação Geográfica no Paraná

08/11/2012 17:09

Cerimônia de abertura e entrega oficial do registro de procedência reuniu autoridades e produtores rurais em Jacarezinho; evento continua até amanhã, dia 9

Alfredo Jorge

 

A quinta edição da Feira Internacional de Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná (FICAFÉ) foi um momento histórico para os produtores de cafés especiais da região. Uma das atrações do evento foi o lançamento oficial da Indicação Geográfica de Procedência (I.G.P.), nesta quinta-feira, dia 8.

A solenidade contou com a presença da representante do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), Suzana Serrão Guimarães, que concede a certificação. A I.G.P. garante a origem, os processos de produção e algumas características sensoriais dos produtos de uma determinada região, conferindo-lhes destaque no mercado brasileiro e internacional.

Para Suzana Guimarães, o registro representa a coletividade e mostra a vontade dos produtores em manter a qualidade. "É uma responsabilidade muito grande dar continuidade a esse reconhecimento", diz. Ela acrescentou que o Brasil ainda está na "infância" quando o assunto é a certificação geográfica. A metodologia teve início no Brasil em 1997 e, de lá pra cá, o País possui 29 produtos detentores da I.G.P., sendo que 17 deles foram obtidos apenas em 2012. 

A Associação dos Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná (ACENPP) recebeu a certificação em maio deste ano e a conquista é um dos resultados do Projeto de Cafés Especiais, que teve início em 2006. Ancorado pela Sebrae/PR e pela ACENPP, o objetivo do Projeto é a fixação do homem no campo, a geração de renda e o desenvolvimento do Norte Pioneiro, que contempla 45 municípios.

A certificação beneficiará cerca de 7.500 cafeicultores e suas famílias, responsáveis pela produção de 1,1 milhão a 1,3 milhão de sacas beneficiadas por ano, que correspondem a 50% da produção paranaense de café.

 

Conquista

 

Segundo Suzana Guimarães, a obtenção da I.G.P. é um trabalho árduo, que requerer a organização de uma comunidade. "Para mim, é uma honra fazer parte desse momento. É o reconhecimento do amor e da competência dos produtores do Norte Pioneiro por sua terra", declara.

Heverson Feliciano, gerente regional do Sebrae/PR no norte do Estado, acredita que a conquista da I.G.P. é a realização de um sonho, que começou com a criação do Projeto de Cafés Especiais. "A certificação mostra a força do empreendedorismo rural e vem coroar o Projeto, que entra agora em uma nova fase. Podemos dizer que o café do Norte Pioneiro está agora em um novo patamar."

Para a coordenadora estadual de Agronegócios do Sebrae/PR, Andreia Claudino, hoje é um dia que deve ser festejado. "Para o Paraná, é uma referência. É o primeiro produto do Estado a obter a identificação geográfica, o que nos deixa orgulhosos", salienta. Ela explica que, agora que a marca está consolidada, o Projeto entra em uma nova etapa, de divulgação. "É preciso que os consumidores conheçam, entendam os atributos e que o mercado passe a exigir produtos diferenciados", argumenta.

Luiz Fernando Andrade Leite, presidente da Cooperativa de Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná (COCENPP), afirmou que a data representa um marco para a cafeicultura paranaense e brasileira. "Agora temos a responsabilidade de levar a marca dos cafés especiais do Norte Pioneiro para o mundo inteiro", enfatizou.

Presenças ilustres

A abertura da FICAFÉ reuniu diversas autoridades que parabenizaram os cafeicultores da região como a prefeita de Jacarezinho Valentina Andrade Toneti; o secretário da Agricultura e Abastecimento Norberto Anacleto Ortigara; o representante do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Paraná (CREA-PR) e do Conselho Federal de Engenheiros e Agrônomos (CONFEA-PR), Edgar Tisusuki; o presidente do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Florindo Dalberto; o representante da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep); o presidente do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Rubens Niederheitmann; o representante do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Antenor de Matos Pinheiro; o deputado estadual Pedro Lupion e o deputado federal Abelardo Lupion.

Em seu discurso de abertura, o presidente da ACENPP, Luiz Roberto Saldanha, pediu mais investimentos para a geração de conhecimento na região do Norte Pioneiro, como cursos para técnicos agrícolas e apoio para a formação de novos Q-Graders, que podem contribuir com o aumento do valor agregado dos cafés da região. Q-Graders são especialistas que podem ser comparados a enólogos, no universo do vinho, e que utilizam referências de características sensoriais e atributos da bebida, baseados em um mesmo critério de avaliação mundial. Hoje, o Paraná possui somente quatro Q-Graders - três no Norte Pioneiro e um em Curitiba.

Os pedidos foram reforçados pela prefeita Valentina Toneti e a resposta de Norberto Ortigara foi positiva. "A ACENPP, a COCENPP e os produtores fizeram a lição de casa e agora nós também precisamos fazê-la. O governo está devendo um time maior para ajudar a nossa cafeicultura. Na virada do ano abriremos um concurso público para a contratação de profissionais." O secretário disse ainda que irá disponibilizar apoio e recursos para a habilitação de novos Q-Graders.

Na oportunidade, o deputado federal Abelardo Lupion também afirmou que irá levar para Brasília o pleito para trazer o curso de tecnólogo agrícola para o Norte Pioneiro. "Foi o 'ouro verde' que financiou a abertura do Paraná. Temos a obrigação de fazer com que a nossa região faça a diferença", finalizou.

Novos mercados

No segundo dia da FICAFÉ 2012 os participantes também tiveram a oportunidade de conferir a palestra ministrada pelo presidente da ACENPP, Luiz Roberto Saldanha, sobre a abertura de novos mercados. Para ele, e entrada no mercado internacional é fruto de quatro fatores: associativismo, gestão, qualidade e sustentabilidade. Os produtores do Norte Pioneiro, por meio da COCENPP, já são capazes de exportar o produto. "Já fizemos exportação para o Japão, em contêiner refrigerado. O café do Norte Pioneiro se tornou 'grife'."

O Projeto de Cafés Especiais conta atualmente com 15 núcleos. E para atender as necessidades do consumidor e aumentar o valor agregado do produto, os produtores precisaram mudar o comportamento e investir em diferenciação. Para isso, deixaram de produzir cafés commodities e focaram as atividades no plantio de cafés especiais e certificados. Essa retomada do setor no Norte Pioneiro ganhou o nome de 'nova cafeicultura'.

FICAFÉ 2012 

A FICAFÉ deve atrair cerca de 4 mil participantes em 2012. No segundo dia, o evento recebeu a visita de dez caravanas. A Feira de Negócios também surpreendeu os expositores. Carlos Balan, representante técnico de vendas da UPL, empresa que comercializa fertilizantes, participou pela primeira vez da FICAFÉ. "A Feira é relevante para o setor de café. Estou surpreso pela organização".  

A FICAFÉ foi concebida pelo Sebrae/PR e pela ACENPP como uma ferramenta de marketing para evidenciar a produção de cafés especiais e certificados da região. A quinta edição do evento será nos dias 7, 8 e 9 de novembro, no Pavilhão de Convenções do Centro de Eventos de Jacarezinho.

A FICAFÉ 2012 é uma realização do Sebrae/PR, ACENPP, COCENPP, além do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SEAB), do Senar, da Associação dos Municípios Norte Pioneiro (Amunorpi), da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Paraná (CREA-PR) e do Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi).

 

 

Departamento de Comunicação/ Prefeitura de Jacarezinho. - Texto: Cleiton Correa / Fotos: Alfredo Jorge